quinta-feira, 4 de setembro de 2014

ADRENALINE - Capítulo 3



Termino o banho e vou para o closet, eis o problema. Stephani só tem roupa justa e que na maioria das vezes chama muita atenção.. Que saco, tudo o que eu não queria. Vamos lá, vai que eu acho algo descente. Procuro pelos cabides um vestido menos chamativo, o que é quase uma missão impossível. Acho um preto bonito com mangas longas e um decote nas costas, visto-o e ele fica muito colado e curto, mas em comparação aos outros, não está tão escandaloso. Coloco um sapato meia-pata preto de salto alto e pego uma bolsa de mão também preta, nossa, parece que eu estou de luto, mas okay. Faço uns cachos em meu cabelo pra dar um volume legal, e passo uma maquiagem pra balada, não muito forte e nem muito calma, marcando principalmente os olhos e destacando a cor azul deles. Por último, passo um perfume da Chanel, que é meu e eu esqueci na casa dessa praga vulgo Ste. Estou pronta, dou uma conferida no espelho e me surpreendo com o que vejo. Stephani entra no quarto cantando uma música que tocava em seu rádio, provavelmente do Justin, ela vestia um short de cintura alta preto de couro e um top cropped de mangas longas azul marinho, combinando com o sapato também azul marinho.
-UAL, quem é você e o que fez com a minha amiga recatada e sem sal e sem açúcar? –ela diz rindo.
-Olha, eu vou desconsiderar o recatada e o sem sal e sem açúcar. Muito obrigada pelo seu ‘’elogio’’ –fiz aspas com as mãos e dou risada junto com ela.
-Besta. Nossa, essa noite promete, e como estamos lindas e gostosas, tenho que tirar um selfie. –ela diz e eu dou risada. Fazemos uma pose diante do espelho enorme de seu closet e tiramos uma foto que até eu gostei, ela posta no instagram e twitter e me marca, com a seguinte legenda ‘’Essa noite promete’’.
-E a Isa, tu já ligaste pra ela? –pergunto eu entrando no meu carro.
-Já, nós vamos se encontrar na porta da boate. –eu assinto com a cabeça e vamos em direção ao centro de San Francisco. Ela liga o rádio e está tocando uma música brasileira, exatamente dizendo, funk. Eu odeio esse gênero, mas a minha amiga gringa aqui, ama. Meu pai amado.
-Stephani para de cantar, você ta cantando tudo enrolado. –eu digo rindo da cara dela.
-Ai menina me deixa ser feliz, se você não tem brilho, não queira apagar o meu, ok? –ela diz eu dou risada e continuo.
-Você nem bebeu nada ainda e já está assim.. –ela finge não escutar e continua cantando, ou melhor, tentando cantar.
Estaciono na porta de um bar, ao lado da boate, e já posso ver uma loira com um copo na mão e um celular em outra. Isabelle.
-Nossa, vocês demoraram, eu estava quase abrindo um buraco no chão, eu já bebi três drinks esperando vocês. –ela diz, ou melhor grita, quando a cumprimentamos. Ela vestia um vestido curto, soltinho de alça larga e busto apertado branco com detalhes em lilás, e uma sandália alta roxa, carregava uma bolsinha de lado prata. Estava linda e nem parecia piriguete. –penso e dou risada alta.
-Que foi o cu? –Ste me pergunta.
-Nada não, eu só tive um pensamento engraçado aqui. Vamos entrar? Hoje eu quero esquecer o susto e me divertir. –digo e vou em direção à entrada da boate, era uma fachada toda preta e com as letras do nome em neon verde e roxo. A porta principal estava com dois seguranças, um de cada lado conferindo documentos das pessoas que entravam ali. Após 10 minutos esperando, conseguimos entrar na boate. É um lugar muito extravagante, cada milímetro deste local exala luxúria. Não é a toa que é uma das melhores da cidade e uma das mais caras também. Vamos para o bar e eu peço pro barman uma dose de tequila. Jogo tudo de uma vez e aquele líquido desce rasgando na minha garganta. Começa à tocar Hey Brother e as meninas me puxam pra pista de dança, estou no meu terceiro copo de vodca e me sinto leve, começo a cantar e dançar quando sinto uma mão na minha cintura. Quando olho para trás, quase desmaio, será que eu estou tendo uma alucinação?

-Harry? –balbucio e ele se espanta.
-Jasmine? –ele pergunta e eu assinto com a cabeça e dou uma risada nasalada. –Vem, vamos sentar e conversar um pouco, quero te apresentar uns amigos.
-Tudo bem se eu chamar minhas amigas? Se eu me perder delas, depois eu apanho –eu digo rindo e ele assente com a cabeça. Acho as duas descendo até o chão e chamo-as ao meu encontro.
-Olha eu espero que seja muito importante o que você vai falar, por que eu estava ali dançando com o maior gatinho. –Isa diz, já toda atrapalhada. Com certeza já está bêbada.
-E é. Vamos. –puxo-as e sigo Harry pra área vip, até então elas nem perceberam que e estou seguindo alguém. Subimos um lance de escada, e eu já posso ver, uma pista pequena e algumas mesas americanas, com sofás embutidos. Lá estão eles, 5 meninos e o Harry de pé me chamando. Fico receosa de início e cutuco as meninas, alertando-as:
-Se vocês me fizerem passar mico, eu arrebento as duas lá fora. –cochicho e elas assentem dando risada.
-Meninas, esses aqui são –ele aponta pra 5 cabeças- Louis, Liam, Niall, Zayn e aquele loiro topetudo é Justin. –comprimento cada um deles- Essa é Jasmine, uma amiga que eu não vejo a uns 4 anos ou mais. E essas são...-ele me olha pedindo socorro.
-Stephani e Isabelle. –continuo. Olho para as duas e elas estão atônitas. De repente me da um estalo. –Esperem ai, eu conheço vocês, ou a bebida está me fazendo muito mal, ou eu estou ficando louca –eles dão risada e Isabelle não me deixa continuar.
-Justin, pelo amor de tudo o que é mais sagrado, eu te amo, socorro, eu sou sua fã, ahhhhhh eu to pirando, tira uma foto comigo? –ela diz, rápido e meio enrolado.
-Nem vem Isa, eu sou fã dele primeiro, desde quando ele lançou ‘’baby’’ e usava aquele cabelinho escroto –Stephani começa a discutir com Isabelle e Justin intervém.
-Calma aí meninas, tem Justin pra todo mundo –ele diz e eu dou risada, ele se levanta e vai conversar com as duas.
-Então, como eu ia dizendo –a essa altura, eu já estava sentada ao lado de Harry e bebericava um copo de cerveja- Eu comecei escutar One Direction há uns dois anos mais ou menos... E de repente, viciei nas músicas e os acompanho até agora. –digo.
-E você nem se tocou que o Harry era o Harry de Londres à mais de 4 anos? –Louis pergunta rindo.
-É como eu disse antes, não sei o que me deu. Eu nem me toquei, eu ainda to abismada... Mesmo que ele mudou um pouco, não dava pra desconhecer.. Que vergonha!–meu celular começa a tocar.- Licença meninos, eu tenho que atender. –eles assentem com a cabeça. Levanto e atendo o telefone:
-Minha neta, eu preciso falar com você. –me surpreendo, faz tempo que eu não falo em português com alguém.
-Vovó? Quanto tempo, que saudades, como estão às coisas por aí? –os meninos me olham com cara de quem não está entendendo absolutamente nada.
-Verdade minha filha, quanto tempo... Então, eu estou ligando pra te contar um assunto, não muito agradável. A onde você está? –ela pergunta e eu já começo a ficar preocupada.
-Eu estou na balada vovó, mas pode falar. Eu estou escutando bem. –digo.
-Teu pai. Teu pai está te procurando. Ele quer falar com você. –ela diz e eu me sento novamente com os olhos cheios de lágrimas.
-Co-Como assim, meu pai? –eu pergunto já chorando, e os meninos demonstram preocupação.
-Sim minha neta, olha agora não é um horário apropriado pra nós conversarmos. Faz assim, vá se divertir e amanhã eu te ligo. Prometo. –ela diz calma. Limpo os meus olhos e respondo:
-Tudo bem... Te amo vovó, amanhã conversamos! –digo e respiro fundo.
-Eu também te amo, amanhã eu te ligo. –ela se despede e desliga a ligação.
-Desculpem meninos, eu estava falando com a minha vó. –digo e eles entendem.
-Você está bem mesmo? –Harry cochicha em meu ouvido e me faz arrepiar.
-Sim eu estou! –Dou uma risada e ele ri junto.
-Ótimo! –ele diz.
-Jasmine, desculpa a pergunta, mas você estava falando em que língua? –Liam se pronuncia pela primeira vez diretamente pra mim.
-Imagina, estava falando em português! É que eu sou brasileira! –digo.
-É eu imaginei, por que eu reconheci o ‘’te amo’’. –ele diz e todos dão risada.
-É brasileira mesmo? –Louis pergunta e eu assinto com a cabeça. –Ah então é por isso que tem esse corpão. –ele diz e eu coro rapidamente, todos dão risada e Harry da um tapa na cabeça do amigo. –O que, que eu fiz? –ele pergunta.
-Cala a boca Louis. –Zayn diz e todos ri.
-Cadê as meninas? –eu pergunto mudando de assunto.
-Estão dançando ali –diz Justin apontando pra duas gurias dançando sensualmente. Só podia mesmo.
-Nada mais justo que eu ir lá, fazer companhia! –digo rindo. –Se importam de eu deixar minha bolsa aqui? –pergunto e eles dizem que não, em coro. Eu até assusto, e acabo rindo.
Levanto e ajeito o meu vestido, vou em direção as meninas e começo dançar. Esqueço todo o que eu passei hoje, desde acordar até o incêndio na faculdade, me sinto livre e deixo meu corpo se levar sozinho com o som da música. Acaba a música e começa tocar uma que eu amo, quando olho, está eu, Isa, e Stephani descendo até o chão, sem perder a linha e chamando atenção. De repente sinto uma mão passando em minha bunda e viro, dando de frente à um homem de uns 30 anos, com uma aliança na mão direita. Que abusado.
-Tira a mão daí! –grito alterada.
-E ai gatinha, ta sozinha? –ele pergunta e antes de eu responder, sinto um braço se enlaçar em minha cintura.
-Não, ela não está. Pode ir saindo! –Harry diz e percebo que ele ficou realmente bravo. O homem sai e eu começo a agradecer.
-Obrigada Harry, eu não saberia o que fazer, aquele cara era nojento. –digo e ele ri.
-Imagina gatinha! –ele enfatiza a palavra final e eu começo a rir de vergonha. Ele pega na minha mão e me puxa pro bar.
-Um martire, por favor. –digo ao barman.
-Vai com calma moçinha... –ele diz rindo.
-Cala a boca Harry!! –digo rindo também.
Peguei meu copo, e virei tudo pra dentro, ô coisa boa... Fazia tempo que eu não me divertia assim!
-Me passa o seu número, não quero perder o contato de novo. -Harry grita em meio daquela música alta.
-Tudo bem, vamos voltar lá pra mesa minha bolsa está lá, ai eu gravo o seu também em meu celular. -digo e ele assente me puxando em direção a área vip novamente. Passo meu número pra ele e ele faz o mesmo, ta tudo calmo, os meninos rindo bebericando seus devidos copos de drinks, mas eu estou sentindo falta de alguém. Ah claro. Stephani e Isabelle, aonde será que elas se meteram?
-Aonde estão suas amigas Jasmine? -parece que Louis escutou meu pensamento.
-Pois é, eu estava pensando nisso agora, eu vou no banheiro dar uma olhada por lá, se elas chegarem, peça à elas pra ir ao banheiro me encontrar, por favor. -digo e ele faz um sim com a cabeça.- Licença meninos, já volto. -digo e vou para o banheiro.
POV's Harry
Nós estamos aqui em LA faz uma semana, segunda feira iremos pro Brasil, se eu estou ansioso? É claro que sim. Mas depois desse reencontro com a Jasmine, sei lá, agora ela está diferente, mais madura, e mais linda ainda... Meus pensamentos são interrompidos pelo toque do meu celular, no visor estava escrito:
Roberth Mendes.
Mas que droga, o que será que aconteceu? O que esse cara quer?
CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário